fbpx

Uso industrial da cannabis

Compartilhe esta notícia

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Estamos publicando uma série de postagens destrinchando o PL 399/15, que regulariza o cultivo da maconha para fins medicinais e tramita na Câmara dos Deputados.

Só que, além do uso medicinal, o projeto de lei também prevê o cultivo com fins industriais.

Para cultivo e uso industrial, a planta de cannabis precisará ter menos de 0,3% de THC. Ficará autorizada sua produção para cosméticos, produtos de higiene pessoal, celulose, fibras, produtos de uso veterinário, gêneros alimentícios e suplementos alimentares.

A cannabis é uma planta fibrosa altamente produtiva para a confecção de tecidos, papel, corda, e também para alimentos. Antes de ser proibida, a cannabis foi usada nas velas das naus das grandes navegações que chegaram às Américas. Chegou a ter seu cultivo incentivado pela Coroa Portuguesa durante a o período colonial, com a Real Feitoria do Linho do Cânhamo (1783-1824), de modo a diminuir a dependência de Portugal da importação de outros países.

Mas, no início do século XX, a maconha foi proibida com base em preconceito e xenofobia. O cânhamo também não interessava à indústria têxtil americana da época, que usava algodão e inventava o nylon (feita de petróleo).

Nossa avaliação do PL399/2015:
https://bit.ly/3ne0dPY

Regras para cultivo:
https://bit.ly/2Sp8Qc6

Médicamentos canábicos:
https://bit.ly/36JWRP5

Convidamos você a fazer parte da construção da nossa candidatura a vereador do Rio de Janeiro outra vez. Não esqueça de preencher para participar da campanha!

maconhaindustrial

maconhasalvavidas

Cinco50555

Ajude nossa campanha

Nossa campanha é totalmente pelas redes, faça parte!

Mais notícias

CUIDAR TAMBÉM É TAREFA DE PAI

No Rio, a Emenda à Lei Orgânica 27/2017, de autoria de Renato Cinco, ampliou a licença-paternidade para 20 dias A luta pela igualdade de gênero

TODA MULHER MERECE UMA DOULA

No Rio de Janeiro, a presença de doulas em hospitais é permitida por lei de Renato Cinco Ainda estamos em luta para que as mulheres

Quer ajudar mais?

entre em contato com a gente